#02 SPC Review – Parte II

comdpi_review_2

Continuamos com a análise da aluna Melissa Mussi, da segunda turma do COMDPI sobre a última edição da apresentação de artigos produzidos pelos alunos do MBA em Gestão da Comunicação Online, Marketing Digital e Publicidade na Internet.

Dessa vez quem sobe no palco são os alunos.

Dê só uma olhada:

 

A apresentação sobre Marketing de Convergência propõe que campanhas feitas para o mercado B to C, utilizando como exemplos a Brastemp e a Hotwheels, passem a ser utilizada no B to B, que e muito mais específico e conservador, mesclando o marketing on-line e off-line, buscando diferentes abordagens e plataformas, interagindo com o cliente em tempo real, com o objetivo de encanta-lo. Segundo a aluna, isso seria um novo caminho para as indústrias que tiverem departamentos de Marketing com coragem de ousar.

A apresentação De tela para tela – a busca da experiência estética nas plataformas digitais mostrou que os artistas plásticos ainda possuem uma comunicação mais tradicional com seu publico. Para a pesquisa, a equipe selecionou 6 artistas paranaenses que utilizam de alguma forma o meio digital.

Grandes partes dos artistas usam a internet como meio de exposição, porém muito pouco como meio de interação com o consumidor de sua arte. Um dos artistas criava suas telas no computador, mas todos os outros criavam da maneira convencional. A equipe concluiu que sempre e possível ter uma experiência estética, independente da técnica e da forma. Cada um tem uma forma de se comunicar, independente de se identificar com aquilo ou não.

O Capital Social em Perfis Fakes no Twitter foi tema de um dos trabalhos e concluiu-se que o capital social pode gerar considerável capital financeiro. Por esta razão as empresas buscam tanto esta forma de comunicação. Foram analisados 5 perfis fakes que tem o humor como tônica. O que se pode perceber e que por meio do humor, da atualização, da informação, unidade visual e de discurso, eles tem um poder enorme de influenciar e conquistar seguidores e acabam sendo uma opção de comunicação barata para a empresa, pois utilizam plataformas gratuitas e tem um número amplo se fãs fiéis. Os perfis fakes usam os seguidores usam os seguidores como audiência, vendem tweets, cobram por presença em eventos.

Um dos trabalhos analisou sites de programação cultural em Curitiba (Grupo RBS, Obaoba, Guia da Semana, Curitiba Interativa), comparando o design, formatos, comportamentos e formas de busca em casa um deles. A conclusão foi que todos possuem moderação, formato de portal de notícias. Nenhum deles traz 100% de programação cultural. A equipe apresentou depois o produto de pesquisa que eles julgam ser o ideal, o portal do Grupo Lumen Lumenoso), indexador de conteúdo de programação cultural em Curitiba, buscas culturais. Ele não é moderado. Pessoas podem promover o seu evento.

O estudo de caso Best Buy Twitter avaliou o relacionamento marca x consumidor no Twitter. A empresa utilizou a característica de “transparência” do Twitter para ter credibilidade e posicionar a marca no mercado, visto que a transparência e essencial para a reputação de uma marca, e o endomarketing e o SAC 2.0, comprova do que o serviço e o maior e mais eficiente diferencial. Por meio de uma única conta (@twelpforce ) gerenciada por todos os funcionários, foram tiradas as dúvidas dos consumidores. Endomarketing foi essencial para o sucesso da plataforma


E aí, o que acharam? Mas ainda não acabou. Fiquem ligados, nos próximos dias publicamos a terceira e última parte do review feito pela Melissa. Se vocês perderam a primeira parte, não entrem em pânico, é só clicar aqui.

COMDPI, aqui a internet é coisa séria.